Foto de mulher de frente com projeções verdes de telas de código

Artigo 8 – Open Insurance: como o compartilhamento de dados transformará o mercado de seguros

A transformação digital no mercado de seguros chegará a uma nova etapa em dezembro desse ano, quando entra em vigor a primeira fase do sistema de compartilhamento de dados da indústria, conhecido como Open Insurance.

Segundo a Superintendência de Seguros Privados, o Open Insurance, ou Sistema de Seguros Aberto, é a possibilidade de consumidores de produtos e serviços de seguros, previdência complementar aberta e capitalização permitirem o compartilhamento de suas informações entre diferentes sociedades credenciadas pela Susep, de forma segura, ágil, precisa e conveniente.

E, assim como o Open Banking, o Open Insurance será implementado em fases, permitindo que o setor se organize e se adapte às mudanças.

Estes projetos de inovação nos setores de seguros, bancos e investimentos compõem o chamado Open Finance (sistema financeiro aberto), e têm o objetivo de aumentar a oferta de produtos e serviços ao consumidor, com preços mais competitivos.

 

Como vai funcionar o Open Insurance?

O Open Insurance se baseia em três elementos principais: open innovation, experiências digitais e novos modelos de negócios. Com isso, promove uma estratégia de inovação aberta a todas as empresas do mercado segurador que estejam interessadas em criar produtos mais eficientes, que atendam às necessidades dos clientes.

A primeira fase, com previsão de início em dezembro de 2021, contemplará o compartilhamento de dados públicos das empresas referentes a canais de atendimentos e produtos disponíveis; a segunda fase, prevista para começar em setembro de 2022, envolve o compartilhamento de dados pessoais, com a possibilidade de cadastro dos clientes e participantes; a terceira fase, por fim, prevê a efetivação dos serviços por meio do ecossistema, e tem início previsto para dezembro de 2022.

Fonte: SUSEP

 

Para mais detalhes sobre conceitos gerais e forma de implementação do projeto, bem como sobre as etapas, assista ao webinar realizado pela SUSEP:

 

 

Objetivos do Open Insurance

 

Nos termos da Resolução CNSP nº. 415/2021, da SUSEP, o Open Insurance tem o cliente como seu principal beneficiado, e busca facilitar a organização e o planejamento financeiro pessoal, promovendo a cidadania financeira.

 

Além disso, pretende tornar o compartilhamento padronizado de dados seguro, ágil, preciso e conveniente para os clientes, que terão ofertas mais personalizadas, segundo seu perfil.

Incentivar a inovação, aumentar a eficiência do mercado de seguros, promover a concorrência e ser interoperável com o Open Banking também constituem objetivos do Open Insurance, conforme prevê a SUSEP.

 

Insurtechs saem na frente

 

As insurtechs, enquanto empresas nascidas na era digital, já possuem uma estratégia customer centric. Por meio da análise de dados e de uma dedicação às demandas do consumidor moderno, são capazes de oferecer uma experiência exclusiva e personalizada para os clientes.

Assim, vão ao encontro dos objetivos do Open Insurance, que tem o cliente como foco principal dessa estratégia.

Com uma solução desenvolvida especialmente para o ecossistema de garantias, a Avita é um exemplo de insurtech que oferece aos seus clientes um serviço personalizado e de alto valor agregado.

A insurtech é pioneira no desenvolvimento de uma plataforma online de emissão automática, controle e gestão de seguro garantia e fiança locatícia. Atualmente, é a maior emissora de seguro garantia judicial do país, tendo mais de 150 grupos econômicos como clientes.

A Avita é parceira das empresas nesse processo de transformação do mercado de seguros.
Quer saber mais? Entre em contato com nossa equipe!